Antes de ser noiva você é mulher

Carta da escritora

E nós do Casando em Petrópolis não poderíamos deixar de lembrar que estamos em Março, o mês dedicado a luta feminina por seus direitos. Escolhemos como tema para o especial do mês algo que amamos e que nos faz sentir que a beleza habita em nós: maquiagem! Porque há poder numa boca pintada de vermelho que pode falar o que pensa!

Nós mulheres, nesse novo milênio, temos tanto a agradecer aos nossos antepassados por todas as oportunidades que hoje podemos desfrutar, como escolher nossa profissão, ir sozinha para a faculdade, dirigir, comprar revistas de noiva com o próprio dinheiro (e sem dar satisfação disso), poder escolher o marido… Mas o “tinha que ser mulher” como sanção reprovativa não está muito longe.

Preparativos de casamento é coisa de mulherzinha? Você corre feito menina? Maquiagem e outras feminices é futilidade? Quanto do nosso discurso ainda carrega uma tonelada de imagens que diminuem a mulher?

Estou vivendo algo muito ridículo até, tendo que ser discreta para que a Universidade não me veja como blogueira de casamento porque isso pode diminuir a relevância da minha pesquisa e o meu sucesso no mestrado.

A gente passa a vida toda, principalmente na infância e na adolescência, com um monte de “Você não pode”. Eu achava que era pessoal, que eu, Natalia, não podia porque era incompetente, fraca, indefesa. Quanto de culpa a gente aprende a carregar a vida toda, quanto medo a gente aprende a sentir… Hoje em dia eu sei que isso não é por causa de mim, não é pessoal. É porque eu sou mulher. Não podia isso ou aquilo, tinha quê isso ou aquilo porque eu sou mulher.

Quanto a gente ainda acha que sinal de sucesso é ter um partidão do nosso lado, que às vezes nos desrespeita na frente das pessoas, que fala alto com a gente, que pega no nosso braço, que não nos deixa ter opinião ou ter a própria vida, mas que pôs no nosso dedo um anelzão e que vai bancar um casamentão?

E o quanto a gente ainda pensa que mulher bonita e vaidosa é burra? Se for noiva então, que só fala do casamento, é mais alienada ainda! Quantas de nós não resistiu a entrar no mundo “casamento” por medo de perder sua força, por achar que isso é meio ridículo, que isso de alguma forma não é pra nós. Quantas de nós nos punimos com “não vou fazer as unhas”, “vou comer todo doce do mundo”, etc quando a vida dá uma rasteira, quando o orçamento aperta, quando o boy magia vira ogro?

O Casando em Petrópolis é escrito por uma mulher. A maioria dos leitores são mulheres. E eu não podia perder a oportunidade de escrever essa cartinha pra vocês (e já faz tempo que não escrevo!): o período dos preparativos do casamento é um dos que a gente se sente mais bonita, mais amada, mais mulher! E isso dá um poder enorme para a gente realizar até projetos profissionais e sonhos engavetados.

Aproveita para deixar de sentir vergonha de ser bonita, de achar que vaidade é coisa de mulherzinha. Tem uma pessoa maravilhosa que te escolheu para ser sua mulher!

Então bóra passar um batom vermelho!