Casamento Luterano

Casamento / Inspirando / Religioso

casamento-luterano

Em 29 de agosto deste ano a comunidade luterana de Petrópolis completou 171 anos. De origem alemã, vêm celebrando o amor e a edificação de milhares de famílias na cidade. Para eles, casamento é criação divina. Conversei com o Pastor Elton sobre o casamento luterano e como é realizado.

Para saber mais sobre a comunidade luterana de Petrópolis, clique aqui.

Aquarela da catedral Luterana de Petrópolis feita pelo meu marido, Denis Sevlac, especialmente para o post.

O matrimônio

Está em Gênesis, que o homem deixe seu pai e sua mãe para se unir a sua esposa. E depois, no Novo Testamento, Jesus Cristo repete essas mesmas palavras. É criação divina para a felicidade do ser humano. O objetivo é a felicidade. Não é bom que o homem viva só, então Deus pensa: vou fazer para ele uma ajudadora que seja para ele uma companheira de vida. Não haverá solidão. Quem vive sozinho, vive triste. Nós precisamos de alguém ao nosso lado para sermos felizes.

A vida conjugal

É preciso buscar na Sagrada Escritura a inspiração, onde temos o mandamento do Amor e também a lição de que homem e mulher serão companheiros de jornada, lado a lado.

O reformador Martinho Lutero define o casamento como a melhor e mais santa de todas as coisas que Deus criou. Mas ele também alerta que casar é fácil, mas permanecer no amor é difícil. Mesmo as pessoas que não se separam podem viver infelizes, porque não permanecem no amor. Ficam se aturando por conveniências financeiras e sociais e não se separam, e essa é uma hipocrisia. Jesus não quer hipócritas. Não queremos que ninguém viva na hipocrisia, nem na infelicidade no casamento, então que você ao casar saiba: seja feliz com quem você vai viver. E para ser feliz, você precisa fazer a sua parte. Ninguém é feliz sem esforço. É  preciso perdoar, é ter palavra de carinho, é não se esquecer de dizer sempre “Eu te amo”, de cultivar o amor.

Mas não é fácil viver no amor que Deus propõe com o matrimônio para nós. É preciso fazer algo para permanecer no amor.

Preparação do casal para o matrimônio

Primeira lição de preparo para o casamento é, no casal, um conhecer o outro. Mas não só apresentar ao outro as coisas boas. Dar-se a conhecer nas virtudes e também nos defeitos.

Segunda questão é, se é um casal cristão, é pautar a vontade divina para seu casamento. Se Deus é amor, como esse amor estará presente em seu casamento desde seu preparo. Refletir como deve ser portar, perdoar…, há várias características na Sagrada Escritura que um cristão deve ter e que devem estar presentes no casamento. Orientamos o casal a construir sua vida conjugal seguindo a Palavra de Deus.

Outra questão é o tempo de namoro, que deve ser suficiente para que um conheça o outro e possam se unir verdadeiramente. Grupos de Casais orientam os noivos nessa preparação e continuam auxiliando na vida conjugal, realizando encontros de casais e retiros.

Validade do casamento

Precisa: Palavra de Deus, a Bênção Matrimonial e o Consentimento dos dois. A regulação civil também se faz importante, como segurança para as partes e para a regulamentação diante dos direitos civis. Se um casal está de acordo com a lei civil, ele poderá se casar sem problemas, porém não realizamos casamentos homo-afetivos.

Conforme a vontade de Deus, o matrimônio é indissolúvel, porém diante de conflito deve haver um aconselhamento pastoral visando um reconhecimento de culpa e a reconciliação. Porém, em alguns casos, o divórcio pode acontecer… Existe a possibilidade de realização de casamentos mesmo para indivíduos divorciados, que serão orientados pelo pastor, porque os luteranos não consideram o matrimônio um sacramento, então pode ser realizado novamente. Quando confessada a culpa, assumidas as consequências do vínculo desfeito e quando constatada a seriedade de um novo compromisso matrimonial.

Só realizamos casamentos de membros da comunidade e nem alugamos para casamentos de pessoas de outras localidades, mas isso é uma decisão da nossa comunidade em Petrópolis. Nem pedimos a colaboração com nenhuma taxa. É necessário que apenas um do casal seja membro. No caso de um dos membros do casal não ser luterano, não há necessidade de conversão, até realizamos casamentos de forma ecumênica se o casal assim desejar (se isso não entrar em conflito com a fé que ele professa).

Quando vemos casais que moram juntos há anos e só depois se casam, perguntamos por que demoraram tantos anos. Nos dizem que não tinham dinheiro para casar… A questão espiritual do casamento vai ficando em segundo plano, infelizmente… Por questões de praticidade e até financeiras, muitos casais estão optando por não se casar ou adiarem o casamento, realizando união estável. Casar não é para ter festa. Não precisa pagar festa pra ninguém, podemos fazer a Bênção Matrimonial dentro do culto.

Rito do casamento

Para nós, não há um local específico para sua realização. Pode ser realizado no templo ou num salão, onde se coloque um Altar, o crucifixo (lembrando Cristo, que deu a vida por nós), a vela (lembrando a luz de Cristo), a Sagrada Escritura (que ilumina a vida) e um ramo de flores (lembrando a natureza que Deus criou e que nos dá todo o sustento). O Altar representa a presença de Deus.

Há determinados elementos que não fazem parte da nossa tradição, como buquês de Sto Antônio e cantar Ave Maria. Nem a bênção das alianças, já que não faz parte da nossa tradição abençoar objetos.

Os votos

Há duas formas:

  1.  Eu, X, recebo a ti, Y, das mãos de Deus como minha esposa. Eu me comprometo viver contigo em tempos de fartura ou de escassez, em tempos de bonança ou dias tumultuados, em tempos de enfermidade ou de saúde. Me comprometo a te amar e estar contigo por toda a vida. E, para este compromisso que agora assumo, peço a ajuda de Deus.
  2. Perante Deus e na presença destas testemunhas cristãs, eu te recebo, Y, da mão de Deus como minha esposa, e prometo te amar, te honrar, te respeitar, não te abandonar nas horas de alegria e também de dor, e manter nossa união matrimonial santa e indissolúvel durante toda a nossa vida.

            Seguidos por troca das trocas de alianças. O beijo é o selar do compromisso.