Padre Adenilson Ferreira

Conhecendo

pe-adenilson

Hoje a gente conhece um pouco sobre um padre mineiro de 38 anos, ordenado em Petrópolis há 14 anos e que ama participar da celebração de casamentos. Professor da Universidade Católica de Petrópolis e membro da administração da Diocese, Pároco da Catedral São Pedro de Alcântara e sucessor de padre Jac, o padre Adenilson encontrou um tempinho para conversar com a gente sobre casamento.

Casamento: amor

Família: comunhão

Amor: entrega

Casamento e família

Falando de um casamento católico, ele é um sacramento. O matrimônio. E quando falamos de sacramentos, falamos de um sinal sensível da Graça de Deus do amor de Deus. Então, de uma certa forma, o amor conjugal visibiliza o amor divino, que é total, radical, aberto à vida. Temos uma unidade entre os dois no casal, um vínculo sagrado, santo, que só se dissolve com a morte de um dos dois. E o matrimônio se torna a base da família cristã e a base também da nossa sociedade.

Vocação

Desde criança já me sentia atraído pela vida sacerdotal. Gosto muito de realizar casamentos. Sempre que sou chamado fico feliz de poder participar da vida dos dois, procuro falar para os noivos, envolve-los na celebração, procuro ser carinhoso, atencioso para com eles. É uma celebração que dura 30, 40 minutos, mas que marca a vida dos dois, a partir dali começa a nova vida deles. No caso, como ministro, estou ali para abençoar, para acompanhar, para dirigir a eles palavras de afeto.

Casamentos me emocionam bastante. Posso falar do casamento da minha irmã, que eu mesmo celebrei a missa com o casamento dentro da missa, e de paroquianos e amigos, que foram muito emocionantes para mim.

Cuidados com o sacerdócio

Primeira coisa, o padre precisa descobrir um lugar onde ele se refaz não só espiritualmente, mas também fisicamente. Saber dos seus limites, saber parar um pouco, respirar e retomar. Eu particularmente sou um pouco agitado; tenho muitos afazeres em questão da paróquia, na universidade, como professor (de Direito Canônico e Introdução à Teologia na UCP), junto da administração da Diocese. Às vezes é preciso tirar um tempo para parar, para rezar, estar com amigos e pessoas que nos ajudem, que nos corrijam, estar com a família, com a minha origem.

Ocasionalmente, quando tenho um tempo livre, vejo filmes de suspenses psicológicos e leio livros. Estava lendo Dom Casmurro outro dia. Gosto muito de música, não só da religiosa. Ouço no carro MPB, música clássica, canto gregoriano… Sou da geração que gostava de Engenheiros do Hawaí! Gosto de Djavan, Milton Nascimento e Elis Regina.

Mensagem para os noivos

No casamento, na vida do casal, é preciso amor e Deus.