Revistas de Noivas

Inspirando / Preparativos

Uma das coisas gostosas de ser noiva é entrar num banca ou livraria atrás de sua revista de noiva preferida, ou recebê-la do carteiro. A internet hoje tem concorrido com as impressões, o que levou às principais publicações construírem plataformas incríveis. Mas quem é old school sabe a delícia que é tirar o plastiquinho, sentir aquele cheirinho de revista nova e folhear por horas o seu mundo preferido.

“Vou comprar todas as revistas!”

Muito tempo antes de me casar, o meu interesse pelas revistas se deu porque eu queria, sem perceber, saber das novidades, do mundo que o evento “casamento” construiu com o passar dos anos. E que mundo sedutor… Muita atenção pra não gastar demais, não se iludir demais, não inventar demais… Mídia, né…

Depois de um tempo, pedi as revistas de uma amiga que tinha acabado de se casar emprestadas. Noooossa, mais empolgação total! Li, reli, mil vezes. Jurei pra mim que quando fosse minha vez eu compraria todas as revistas que saem nas bancas.

Só que isso não aconteceu, graças a Deus. Senão eu teria ido à falência! Naquela época eu não tinha senso nenhum e achava que todas eram “ok”. E não são. Há revistas modernas, outras “paradas no tempo”, revistas para diferentes classes sociais, outras que mais parecem catálogos de fornecedores, outras que não sei porque são vendidas no Rio de Janeiro.

“Mas para quê tanta revista de noiva, menina!”

Comprar revista de noiva é vício! Comigo até elas entraram no orçamento do casamento para que eu não me empolgasse e comprasse demais.

Uma coisa que é muito bacana sobre as revistas é que os assuntos dificilmente ficam datados, então uma revista de 1 ano atrás pode ter algo super adequado ao que você quer hoje. Procure nos sites das editoras ou nos grandes eventos de noivas a revista antiga com aquela reportagem que você achou interessante por um valor bem legal.

As revistas servem para:

  • Informar sobre os produtos e serviços disponíveis no mercado, o que leva em conta a demanda, as tendências…
  • Apresentar quem são os fornecedores, um pouco do seu trabalho e seus contatos
  • Inspirar e ajudar a concretizar seus sonhos.

Com elas você pode também montar uma pastinha de referências para cada item do casamento, como bolo, convite, vestido… Eu morria de pena de cortar as minhas, então eu marcava adesivos de catálogo e levava nas reuniões. Hoje em dia acho mais prático tirar foto da referência, pôr numa pastinha da nuvem e levar só o celular ou tablet na reunião.

O que fazer com as revistas depois?

Ninguém vai te julgar se você não quiser se desfazer de suas revistas de noiva. Mas praticar o desapego quando a gente se casa é um exercício maravilhoso de amadurecimento. Você pode:

  • Vender: num site, como Mercado Livre, numa banca de publicações antigas ou para alguma amiga e ainda recuperar parte do investimento (e dá uma graninha boa!)
  • Trocar: num mercado de pulgas ou banca de publicações antigas por qualquer coisa para a sua vida nova
  • Doar: para uma amiga que vai se casar (acredite, é um presentão!) ou para um bazar beneficente
  • Jogar fora: Nããããooo!!… Jogue fora na minha caixa de correio que eu dou um destino pra elas! O mundo digital está cada vez mais reduzindo o uso do papel, mas o que já foi impresso precisa ser o mais reaproveitado possível.

E quais são as revistas mais legais? No próximo post eu conto!